skip to Main Content
Sabia que por cada 1€ investido na nossa ação de combate à Solidão e ao Isolamento, há um retorno social de cerca de 4€?
Missão e Valores | AMPMV

A intervenção junto das pessoas idosas na Baixa de Lisboa começou a desenhar-se em 2006, pela mão da Engenheira Maria de Lourdes Pereira Miguel.

Com a ajuda de alunos da licenciatura em Serviço Social da Universidade Católica Portuguesa, sob a coordenação do Professor Rui Brites, foi realizado um inquérito porta-a-porta aos idosos residentes na antiga freguesia de São Nicolau para perceber a sua realidade diária. A grande maioria destas pessoas vivia no 4.º, 5.º ou 6.º andar, em prédios degradados, sem elevador ou luz nas escadas, sem vizinhança e, portanto, em situação de isolamento e solidão. Muitos foram também os casos encontrados de pessoas já sem acompanhamento médico, provocado pela falta de acessibilidades dos seus prédios e falta de mobilidade das pessoas com o avançar da idade.

Era urgente estar junto destas pessoas, dar-lhes apoio, não só em necessidades mais imediatas e concretas mas também, combater o sentimento crescente de tristeza perante a ideia da inutilidade e devolver-lhes a alegria e vontade de viver.

Assim nasceu o projeto “Os Mais Sós”, agregado ao Centro Social Paroquial de São Nicolau, de base voluntária e, por isso, assente na boa vontade e disponibilidade das pessoas. Fruto da experiência adquirida, em 2010, o projeto “Os Mais Sós” transforma-se em “Mais Proximidade Melhor Vida”, constituída nessa altura por uma equipa de seis profissionais a tempo inteiro que garantiam assim, um acompanhamento técnico mais próximo e regular às pessoas idosas.

Quatro anos mais tarde, mais concretamente a 15 de outubro de 2014, “Mais Proximidade Melhor Vida” é formalizada como Associação o que lhe permitiu alargar a sua intervenção. Após um ano, em 2015, a Associação é reconhecida enquanto Instituição Particular de Solidariedade Social.

O esforço e dedicação de profissionais e voluntários da Associação Mais Proximidade Melhor Vida torna-se cada vez mais visível e foi validado no Guia de Boas Práticas de Ageing in Place, com edição da Fundação Calouste Gulbenkian e organizado pelo Professor António Fonseca, da Universidade Católica Portuguesa.

O ano de 2019 fica marcado pela saída da sua fundadora por quem a Associação Mais Proximidade Melhor Vida nutre um enorme carinho e a constituição de novos Órgãos Sociais.

Aos dias de hoje, a Associação acompanha 120 pessoas idosas, residentes na Baixa de Lisboa e Mouraria e conta com 8 profissionais e mais de 40 voluntários.

Back To Top